• Tiago Koch

Paternidade Ativa - uma reflexão

Felizmente vivemos um momento de ressignificação da paternidade, onde o papel exclusivo de "provedor" vem sendo questionado.


É comum colocarmos rótulos para diferenciarmos as coisas. Mas rótulos engessam, e há que se ter atenção.


No contexto da paternidade, a expressão "paternidade ativa" tem sido a mais utilizada para para essa revolução paternal.


Gosto do termo e acho super importante, pois traz uma mudança de comportamento. Mas me soa raso para a complexidade que é a paternidade.


Fico com receio que com nossa forma prática e pouco emotiva de levar a vida, acabemos simplesmente trocando a tarefa de prover financeiramente por um conjunto de tarefas que nos garantem o título de "pai ativo". Algo que massageia nosso ego.


Claro que já é um grande passo, mas vejo muitos homens mais preocupados em preencher seu checklist de pai ativo do que preocupado em SER pai.


Vejo a paternidade como algo mais profundo, algo mais relacionado a uma nova forma de se reconhecer e se relacionar com o mundo. Uma nova lente. Uma lente de amor e empatia.


Sinto que quando realmente entendermos a beleza e a importância de uma paternidade com entrega, com dedicação (qualidade e quantidade) e incorporarmos realmente que a paternidade é uma forma de fazer o mundo melhor, talvez não haja mais a necessidade de rótulos, basta apenas SER PAI.


Mas como ainda não estamos tão evoluídos e o caminho é longo, prefiro outro termo. Um termo que no meu entendimento tem haver com SER e não com o fazer.


Paternidade Integral ,prefiro assim, me sinto assim.


Foto maravilhosa @gatherbirth trazendo a importância do pai durante a amamentação. Sim, amamentação é coisa de homem, coisa de pai.

 
  • Facebook
  • Instagram

©2020 por Babo Design.